Liderança

Liderança

Pode ser entendida como a canalização da energia de pessoas no sentido de metas positivas comuns a um determinado grupo.

Estamos, portanto, a falar de interações humanas.

A liderança é uma realidade dinâmica, pluridimensional e em contínuo desenvolvimento.

Integra os seus diferentes intervenientes e satisfação coerente de todos.

Nos últimos anos os temas tipicamente humanos têm vindo a assumir uma natural importância no mundo da liderança, do trabalho e das organizações.

Persistem diferentes teorias que se distinguem-se pelo seu foco de abordagem. 

Consideramos quatro grandes conjuntos de teorias.

Teoria dos traços

Esta teoria ressalta as qualidades pessoais do líder, crendo-os como dons intrínsecos e inatos.

Reservados a um conjunto reduzido de predestinados que se distinguem pelas suas características implícitas de bom líder:

  • autenticidade;
  • confiança;
  • motivação;
  • resolução de problemas.

Na realidade, os líderes desenvolvem-se e as suas características estão relacionadas com outros aspetos essenciais na liderança e nas organizações.

Teorias dos estilos

Estas teorias descortinaram o modo como um bom líder procede, evidenciando três principais estilos:

  • o autocrático: mais focado no líder, na quantidade e no indivíduo;
  • o liberal: mais focado nos colaboradores, na qualidade e na coesão grupal;
  • e o democrático: entre os dois estilos anteriores.

Então verificou-se que um tipo de liderança centrado e envolvendo as pessoas era mais frutuoso e eficaz.

Do paradigma do Homem excelente progressivamente se passou ao do Homem organizacional, partindo de um olhar mais contextualizado, maleável, racional.

Liderança: natureza e estilo do verdadeiro líder. 1

Teorias situacionais

Estas teorias evidenciam a “situação” concreta como um critério importante de verificação da atitude do líder de modo a facilitar e a potenciar os colaboradores do ponto de vista profissional, pessoal e social.

Estamos no dinamismo das teorias centradas no comportamento em contexto.

Passamos do líder em si para o seu modo de proceder com maior ou menor eficácia.

Não existe um estilo melhor e universal de ser líder, mas sim diferentes capacidades de resposta e de ajuste nos seus respetivos contextos.

Destacam-se duas principais dimensões comportamentais do líder:

  • a realização da tarefa;
  • e a relação de apoio e coesão do grupo.

Assim sendo a relação de apoio entre líderes e colaboradores cresce para a maturidade por meio de quatro principais etapas:

  • Determinar;
  • Envolver;
  • Compartilhar;
  • Delegar.

Nova liderança

Designação que reúne um conjunto de abordagens mais recentes, que incorporam diversos modelos de liderança.

Serviço:

Incide na atitude de serviço em vista do desenvolvimento de pessoas de um modo humilde, autêntico, aceitando-as como são e guiando-as em conjunto e para o bem de todos.

Transformacional:

Focada no desenvolvimento dos colaboradores através do olhar individualizado, da estimulação intelectual e do comportamento de suporte.

Autêntica:

Centrada no empenho do líder em facilitar o desenvolvimento da autoconsciência, da moral internalizada, da transparência relacional e internalizada dos colaboradores, ou seja, incentivar a autenticidade desses.

Ética:

Salienta o exemplo de conduta normativamente apropriada por meio de ações pessoais e interpessoais e da promoção dessa conduta junto dos seguidores através de comunicação bidirecional, reforço e envolvência nas decisões.

Nível V:

Destaca a humildade como o corolário da combinação de outras capacidades: individuais (I), de equipe (II), de administração (III), de liderança (IV).

Empoderamento:

Privilegia os processos de auto-influência dos colaboradores e encoraja-os ativamente à auto-direção e à auto-motivação.

Espiritual:

Enfatiza o significado do trabalho, destacando os valores organizacionais que permitem um sentimento de transcendência e de conexão com os outros.

Abnegada:

Pode ser apresentada como o abandono permanente ou temporário dos interesses e privilégios meramente individuais aquando da divisão do trabalho, da distribuição de recompensas e do exercício da liderança.

Este conjunto de teorias complementares verifica de um modo interdependente o valor na liderança da sensibilidade, da harmonia com o ambiente, do significado, da razão, da emoção e da espiritualidade.

Leader 

About the Author

Bernardo Corrêa d'Almeida

Bernardo Corrêa d'Almeida

O meu nome é Bernardo Corrêa d’Almeida e sou Psicólogo. Tenho uma grande paixão pelo que faço e isso traduz-se em presença, cuidado, dedicação e amor às pessoas que me consultam. Terei o maior gosto em trabalhar consigo.
Profissionalmente: Psicólogo Clínico, Professor, Investigador e Escritor. Membro Efectivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses com a Cédula Profissional nº 24538. Membro da Sociedade Portuguesa de Terapia Focada nas Emoções. Psicólogo Clínico na Santa Casa da Misericórdia do Porto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *