Depressão 1

Problemática afectiva que condiciona o modo como as pessoas se sentem e sentem o mundo. Pode resultar como resposta emocional que encobre uma emoção primária e a sua dor, traduzindo-se num emergente sentimento de desamparo.

Possíveis padrões depressivos: Sentir interno reprimido por um sentimento de vergonha não atendido; Proteção suportada pelo evitamento fruto de medo e raiva não atendidos; Isolamento, ‘ninguém cuida de mim’, por tristeza e desemparo não atendidos.

Como se desenvolve um estado de depressão?

Uma emoção que não encontre suporte, compreensão nem significado, e, por isso, não seja processada, pode ser traduzida noutra emoção, que se vai reforçando com experiências prévias semelhantes. Estas podem provocar auto-avaliações negativas crescentes, baixa autoestima e desamparo.

Debaixo desta nuvem desenvolve-se uma narrativa problemática repetitiva, na base de memórias que se tornam automáticas, inconscientes e desgastantes: um estado que permite não entrar em contacto com cerne de uma dor original. Na tentativa de evitar a dor, entra-se num ciclo vicioso repressivo, que leva a um estado depressivo, a partir do qual se tende a viver e a adaptar.

Como se manifesta?

Alterações no sono; perda de energia; dores; lentificação; isolamentotristeza e vazio; culpabilidade; auto-desvalorização; expectativas negativas.

About the Author

Bernardo Corrêa d'Almeida

Bernardo Corrêa d'Almeida

O meu nome é Bernardo Corrêa d’Almeida e sou Psicólogo. Tenho uma grande paixão pelo que faço e isso traduz-se em presença, cuidado, dedicação e amor às pessoas que me consultam. Terei o maior gosto em trabalhar consigo.
Profissionalmente: Psicólogo Clínico, Professor, Investigador e Escritor. Membro Efectivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses com a Cédula Profissional nº 24538. Membro da Sociedade Portuguesa de Terapia Focada nas Emoções. Psicólogo Clínico na Santa Casa da Misericórdia do Porto.